Muito mais do que uma carne, uma verdadeira experiencia!

A Criação

AS raçaS Wagyu

Características

Os animais WAGYU, além de produzirem carne de altíssima qualidade também são conhecidos por:

  • Alta fertilidade e precocidade sexual, machos e fêmeas atingem maturidade sexual ainda muito jovens.
  • São animais de temperamento calmo e versáteis, o que facilita o manejo e adaptação desses animais a sistemas de criação intensivos e permanência em confinamento.
  • Apresentam rendimento de carcaça superior.
  • Indicados para acasalamentos com novilhas. Muito conhecidos por sua excelente facilidade de parto, tanto entre animais puros quanto (principalmente) em cruzamentos industriais.
  • Deposição de marmoreio, gordura saudável, maior proporção de gorduras monoinsaturadas, como consequência sabor e textura distintos.

AS raçaS Wagyu

Criação

O Gado Wagyu, conhecido por sua carne marmorizada, vem despertando curiosidade de pecuaristas. Um gado dócil, que apresenta altas taxas de fertilidade e facilidade de parto.

quais os cuidados que essa raça de potencial enorme para pecuária brasileira de fato exige?

Na internet muitas informações, desde música clássica a alimentação com cerveja, mas será mesmo tudo isso necessário¿
O fato é que, existem muitas variações dentro das raças Wagyu e linhagens; bem como diferenças no manejo e dietas adotadas, tudo isso irá influenciar no resultado (marmoreio).
Assim como qualquer outro animal de produção, o gado Wagyu irá produzir de acordo com as condições que lhe forem proporcionadas.

Mas que condições são essas?
Criadores precisam ter em mente que o marmoreio é o resultado final, de um animal que tem genética para apresentá-lo, de nada adianta esse animal ter genética e não ter sido tratado para que isso ocorra, portanto ai, temos o manejo, e por fim a nutrição, esse animal pode ter manejo e genética, se não receber a nutrição apropriada o resultado também pode ser afetado.

AS raçaS Wagyu

Genética

Genética Wagyu

Sim os animais das Raças Wagyu têm maior predisposição para produção de marmoreio, mas diferente do que a maioria das pessoas pensam, dentro das raças há animais e linhagens que produzem mais marmoreio, outras maior ganho de peso, outras habilidade materna, etc.

É claro que a escolha do touro/cruzamento vai depender se o criador está trabalhando com animais puros ou cruzados, manejo adotado na fazenda, objetivo que terá com esses animais e momento que serão comercializados (melhoramento genético, cria e recria, terminação e abate, etc).

Quando se busca por maior produção de marmoreio por exemplo, deve-se priorizar animais da Raça Wagyu Kuroge (Japanese Black), e de preferência animais que apresentem maior grau de sangue da linhagem Tajima, isso pode contribuir para que seu rebanho apresente melhores índices de marmoreio.

ANIMAIS Puros

Atualmente já temos conhecimento de linhagens e reprodutores, que vão desmamar bezerros mais pesados; outros que terão em sua produção animais que irão apresentar melhor ganho de peso, outros indicados para cruzamentos industriais e assim vai. Porém, quando estamos lidando com animais puros, pode ser interessante buscar maior heterozigose, pensando nisso muitos criadores (de Wagyu Kuroge) seguem o sistema de rotação de linhagens criado por Shogo Takeda. No sistema  os Touros são classificados quanto: Habilidade Materna, Carcaça e  Marmoreio

O sistema preconiza o desenvolvimento de animais equilibrados que irão gerar bons resultados a seus criadores. Como exemplo de padreadores temos:

      • Grupo A: Itoshigefuji TF147
      • Grupo B: Itoshigenami TF148
      • Grupo C: TF Itomichi 1-2
      • Grupo D: WKS Shigeshigetani

Sistema de Rotação de Linhagens Shogo Takeda

Cruzamentos Industriais

Atualmente muito utilizados para  cruzamentos e produção de carne de qualidade os Touros das Raças Wagyu, são conhecidos por sua precocidade sexual e alta libido, mas quais detalhes devemos nos atentar para termos um produto (carne) de qualidade?

(Wagyu Kuroge – Foto: WagyuBrasil)

Reprodutores

Talvez um dos pontos mais importantes, e onde observamos muitas dificuldades, como já mencionamos anteriormente, dentro do gado Wagyu há linhagens e Raças que são melhores para produção de marmoreio, mais uma observação a ser feita é, maior parte do rebanho Wagyu Puro nacional é de linhagem de animais que produzem maiores carcaças e consequentemente marmoreios inferiores. Para quem busca qualidade de carne, no cruzamento industrial é algo imprescindível que se utilize um touro de linhagens que expressem maior quantidade de marmoreio em sua produção.
De forma geral, deve-se priorizar reprodutores da Raça Wagyu Kuroge e que apresentem boa proporção de linhagem Tajima, essa na maioria dos casos, é representada por animais de alta produção de marmoreio.
Os touros podem servir a mais vacas do que a maioria das outras raças, são muito tolerantes ao calor e permanecem muito férteis e ativos quando outros animais lutam contra o estresse térmico. Além disso, a longevidade é mais uma característica da raça, seus produtos nascem pequenos, sendo extremamente raro qualquer tipo de complicação durante o parto, por isso são muito recomendados para inseminação/cobertura de novilhas.

Matrizes

Escolha das matrizes, levando em consideração que, atualmente, os frigoríficos remuneram  em função do marmoreio obtido no momento do abate, deve-se priorizar animais e/ou linhagens que tenham maior predisposição ao marmoreio. Como mencionamos anteriormente, genética é a base para o marmoreio. Na prática, temos observado nos abates, maior regularidade e consistência em animais F1 Wagyu x Taurinos. Nesse caso, bons resultados provenientes de cruzamentos Angus, Hereford, Holandes e até mesmo Jersey. Isso faz do Gado Wagyu, uma alternativa também para pecuaristas leiteiros, que podem obter maior valor agregado em seus bezerros.

(Femeas F1 Angus)

(Nelore)

Levando em consideração os desafios que os animais taurinos enfrentam quanto a adaptabilidade e desempenho na maior parte do território brasileiro, alguns criadores vem optando por realizar o cruzamento do Wagyu em vacas Zebuínas. Se considerarmos aqui animais padrão (nelore comercial), o cruzamento produz animais rústicos que se adaptam bem ao nosso manejo e ambiente de modo geral, porém os resultados apresentados nos abates podem oscilar muito, obtendo marmoreios altos característicos de Wagyu e também marmoreios inferiores mais característicos de animais zebuiínos. Por isso, essa pode não ser a melhor opção quando se trata de cruzamentos, principalmente se produtor for remunerado de acordo com marmoreio obtido no momento do abate.

Uma terceira alternativa vem mostrando bons resultados entre os cruzamentos e pode ganhar maior volume e mercado, o tri-cross entre animais Wagyu x F1 (Angus x Nelore), resulta em animais que se adaptam muito bem quanto ao nosso ambiente e clima, precoces e no abate apresentam resultados equilibrados, produzindo carne de qualidade e marmoreio mais “estável” o que pode ser interessante para quem busca remuneração de acordo com marmoreio.

(Animais Tri-cross Wagyu x Angus x Nelore – Foto WagyuBrasil)

AS raçaS Wagyu

Manejo

Alguns cuidados podem e devem ser adotados por quem busca melhor desempenho, quanto ao marmoreio. Cuidados esses que se iniciam antes mesmo do nascimento.
Falando sucintamente, os animais precisam se manter em um balanço energético positivo ao longo de todas suas vidas (literalmente, isso inclui fase fetal), de maneira que se obtenha boa formação dos adipócitos e “preenchimento” destas células de maneira mais precoce. Por isso maioria dos criadores, mantém seus animais suplementados ao longo de todo ciclo, com utilização de creep-feeding para os bezerros e suplementação a pasto no caso da recria.
E porque fala-se tanto em bem-estar animal e criação em locais de estresse controlado? Animais estressados, vão reduzir consumo de alimentos, tornando mais difícil de se manter o balanço energético positivo, além disso, haverá maior produção de cortisol o que pode impactar diretamente na resposta imune desses animais, tornando-os mais susceptíveis a possíveis doenças e infecções. Vale lembrar que as observações feitas nesse último parágrafo não se aplicam apenas a animais das Raças Wagyu, mas sim a qualquer animal de produção.

(Foto WagyuBrasil)

 

Crescimento do tecido muscular e adiposo durante período gestacional; e os efeitos de uma possível restrição alimentar durante a fase pré-natal.

Adaptado de Du et al. (2010)

Programação fetal

Muito se fala a respeito da suplementação de fêmeas gestantes, mas como isso de fato influencia no marmoreio?
Vacas e receptoras gestantes em déficit nutricional podem ocasionar consequências negativas ao desenvolvimento do feto, que irão impactar o desenvolvimento também após o nascimento.
Quando isso ocorre, a produção de uma carne e carcaça de qualidade ficam diretamente comprometidos. Isso ocorre pois, teremos diminuição da formação de fibras musculares, diminuição na formação adipócitos intramusculares; nas fêmeas, também é comprometido o desenvolvimento dos ovários, a capacidade reprodutiva, o desenvolvimento da glândula mamária e subsequente produção de leite na maturidade.
Sem Adipócitos intramusculares = sem marmoreio! Portanto você pode ter genética e nutrição, mas se sua vaca ou receptora passar por períodos de estresse nutricional durante a gestação, a produção de marmoreio desses bezerros pode ser afetada! Vale lembrar que as observações feitas neste parágrafo, valem pra qualquer produtor que busque trabalhar com a produção de carnes de qualidade, não apenas nas raças Wagyu.
Mas é necessário que se tenha matrizes e receptoras, suplementadas ao longo de toda gestação? Não, mas o ideal é que se tenha um balanço nutricional positivo ao menos nos dois terços finais da gestação, sendo o terço final o período mais crítico, como podemos ver na imagem abaixo.

Castração

aA castração deve ocorrer antes que o animal atinja a puberdade, o processo dá-se a fim de inibir a produção de testosterona, o hormônio atua favorecendo a produção de células musculares e consequentemente, tem-se menos proliferação dos adipócitos.
Alguns criadores optam por realizar a castração de seus animais até uma semana de vida com elástico, a fim de evitar estresse a esses animais posteriormente. Outros realizam castração na desmama, a fim de se obter animais mais desenvolvidos. Como já mencionamos anteriormente, tudo isso é uma questão de definir quais são os objetivos de cada criador. O ideal é que os machos sejam castrados antes da puberdade, a fim de precaver qualquer resquício de ação hormonal, alguns criadores optam por realizar a castração até os 6 meses de idade.

(Foto WagyuBrasil)

AS raçaS Wagyu

Nutrição

(Foto WagyuBrasil)

Como ainda não temos um “padrão” nacional para suplementação dos animais, neste tópico tivemos como base de literatura o modelo adotado no Japão, sempre visando atingir maior grau de marmoreio, por isso em alguns casos os pesos e idades podem não condizer com a realidade brasileira.
1) Fase inicial – utilizada até os 8 meses de idade, na suplementação dos bezerros, onde se tem maiores teores de proteína favorecendo seu desenvolvimento e crescimento, animais pesando média de 269kg aos 8 meses de idade (GMD 1,1kg/dia).
2) Engorda inicial – utilizada entre 9 e 13 meses, fase em que se faz transição gradual da dieta dos animais, para uma dieta que chega a 92% de concentrados e altamente energética, animais com 14 meses pesando 443kg, (GMD 1,2kg/dia).
3) Engorda final – 14 a 24 meses, dieta rica em energia, animais terminados aos 24 meses pesando em média 782kg (GMD 1,0kg/dia).

Como pode-se notar esse ganho de peso deve ocorrer de forma lenta e gradativa, é necessário que os animais completem a fase de crescimento e terminação, para então finalmente termos a deposição do marmoreio. Por isso, nesse caso, a carne de animais mais velhos não deve ser desvalorizada, já que, podem apresentar bons índices de marmoreio,

Energia, elemento essencial para deposição de marmoreio na fase de terminação. Atualmente no Brasil os animais puros permanecem ao menos 6 meses em confinamento, dependendo do manejo e objetivo esse período pode chegar até 12 meses. Apesar de pequenos, não é raro vermos animais sendo abatidos com peso superior a 800kg.

Parâmetro Zootécnicos

Os animais das raças Wagyu podem apresentar padrões de crescimento/desenvolvimento diferentes da maioria das raças que estamos habituados a trabalhar no Brasil, por isso nesta sessão vamos pontuar o que é considerado dentro dos padrões das Raças.

Circunferência escrotal padrão para touros das Raças Wagyu Kuroge e Wagyu Akaushi.

Paramêtros Zootecnicos: ABCBRW

EnglishPortugueseSpanish